30 junho 2008

O que Deus diria, se fosse membro de uma Igreja?


Todos os dias tenho a experiência de conversar com alguém, cuja a alma, está transtornada por experiências esquizofrênicas dentro da Igreja.
Antes que alguém diga que nunca pensei assim, posso provar que minhas pregações sempre foram recheadas de elementos que denunciavam uma loucura nas liturgias, teologias, e comportamento de muitos membros de igreja.
Na verdade a culpa não é de Deus, nem de Jesus Cristo, muito menos do Espírito Santo. Não podemos olhar para a Igreja e dizer que não queremos saber mais dela, por conta deles. Nem o contrário, ou seja, não queremos saber deles por conta da Igreja.
Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa, já diz a filosofia popular.
A Igreja, como instituição religiosa, entretanto, merece nossa crítica, e nossa reflexão. Ela hoje espelha púlpitos sem autoridade, unção e profundidade, quando se esmera apenas em pregar a prosperidade como foco central de sua mensagem.
A Igreja, como instituição religiosa, está longe de ser uma comunidade da comunhão. Porque comunhão para alguns é conviver apenas com aqueles que não lhes fazem mal. É abraçar apenas aqueles que lhes proferem palavras "amigas", mesmo que a amizade seja "eterna enquanto dure".
A igreja, como instituição religiosa, está fadada a fracassos evangelísticos, porque seu foco se tornou apenas a alma do indivíduo em números, para fazer parte das estatísticas dos mais bem sucedidos "C&OS", que ampliou sua paróquia e ampliou os números das entradas financeiras.
A Igreja, como instituiçao religiosa, precisa rever seus conceitos de importância. Porque algumas comunidades ainda se vêem engolindo camelos e coando mosquitos. Ou seja, são capazes de brigar por vaga no estacionamento, e sequer chorar com um assassinato na porta do seu templo.
A Igreja, como instituiçao religiosa, tem vivido um dos momentos mais dificeis da sua história, sem querer ser o pessimista de plantão.
E antes que me acusem, me defendo. Amo a Igreja, amo pastorear pessoas, pregar e fazer com que uma comunidade cresça e aparesça. Entretanto, nada me incomoda mais em ver que o que alguns chamam de prosperidade e avivamento, nada mais é do que publicidade e vento.
Paz e Graça.

2 comentários:

miriam ferreira disse...

Acredito que Ele seria um lider, que diria a seus liderados o seguinte: Pelo amor que vocês dizem que tem a Mim. Por favor, suplico em nome de Jesus, não tenham compromisso com a demagogia, com a mentira, com a falsidade, com a vaidade, e outras manias mais que estão entranhado no povo que se diz cristão.
Diria também: Vivam apenas o meu amor e a fé, e o mais eu acrescentarei segundo a minha vontade.
Escrevi desta forma, pois mesmo que Deus fosse membro de uma igreja, Ele continuaria ser Deus.
Que Ele, o Deus de amor e verdade nos abençoe hoje e sempre.

wellison magalhães disse...

ta dito!