29 dezembro 2009

Enzo chega No dia 30 de Dezembro!


Isso mesmo, aos amigos que passam por aqui com frequência, ou aos que no Brasil ou fora dele frequentam nosso espaço no BLOG, uma notícia: meu filho ENZO nasce amanhã pela manhã, às 8 horas. Peço a todos que orem e torçam para que tudo aconteça da melhor maneira possível. Temos entregado tudo nas maos do Pai, porque cremos que a vontade dele é sempre muito boa, agradavel e perfeita.
Abraços paternos a todos e fiquem com a foto da Danusa, sobre o escudo mais lindo do mundo.

21 dezembro 2009

Nao quero ser mais evangélico

Segue um texto enviado pelo irmão Marcos Miranda, que frequenta a PIB do Grajaú. É da pena do Pr.Gilson Souto Maior Junior, da Igreja Batista Estoril em Bauru. Se fosse o Caio Fabio, todos diriam que estava amargurado porque não compartilha mais o "sucesso" de antes, mas como não é, não sei exatamente como você vai "ver" este texto, mas segue no meu blog porque tem muito haver com aquilo que também penso sobre o movimento evangélico. É bom lembrar que o movimento evangélico não tem nada a ver com o evangelho. Abraços.

Não estou brincando! A indignação toma conta de meu ser, pois não dá mais. Evangélico no Brasil virou sinônimo de movimento financeiro religioso, algo meio sem ética – ou totalmente se preferir – em que se rouba e depois ora pedindo perdão a Deus. O “mensalão” de Brasília revela não apenas o que há de pior na política brasileira, mas algo cheira mal na fé evangélica também (ou plagiando o filme, “Fé de mais não cheira bem”). Como é possível alguém orar e dizer que o “financiador” é uma bênção para a cidade? A verdade é que hoje a cristandade está com a síndrome de Geazi, servo do profeta Eliseu (2Reis 5:20-27). Correndo atrás dos tesouros de Naamã, a cristandade gananciosa (2Reis 5:20) mente e camufla situações para justificar seus pecados (2Reis 5:22); pior, esconde o pecado (2Reis 5:24), mostrando a hipocrisia em que vivem (2Reis 5:25). Desta vez foi a gota d’água, ver um pastor, que é deputado distrital – o que já é incoerente, pois ou é pastor ou deputado – e o presidente da Câmara, orando e pedindo a Deus pelo gestor das fraudes, chamando-o de “instrumento de bênção para nossas vidas e para a cidade”. Para a cidade de Brasília eu não sei, mas parece que o gestor financeiro do mensalão foi uma “bênção” para outros.

Não é apenas isso (ou tudo isso), mas a Igreja Evangélica no Brasil virou um monstrengo, uma colcha de retalhos, que mistura “alhos com bugalhos”, Bíblia com água e óleo ungido. Os pastores deixaram de ser homens de reconhecida piedade para serem executivos da fé; jogaram no lixo a orientação de Paulo para serem ministros de Cristo, que se ocupassem da leitura da Escritura, “à exortação e ao ensino” (1Timóteo 4:12,13), para serem ministros de si mesmo, onde a “escritura” agora é auto-ajuda, e a exortação e o ensino viraram barganha de promessas. Não me escandalizo mais, pois o que sinto é uma revolta contra aqueles que “seguiram pelo caminho de Caim, e por causa do lucro se lançaram no erro de Balaão...” (Judas 11).

Por isso não me chamem de “evangélico”, pois este termo implicava numa atitude baseada no Evangelho de Cristo. Mas hoje isso virou um termo jocoso e maldoso. Não quero mais compactuar com pastores que vendem e compram igrejas (isso mesmo!) como se fossem propriedades privadas, investimentos financeiros lucrosos. Não quero mais saber deste evangelicalismo sem ética, sem doutrina e que está mandando milhares para o inferno. Chega deste evangelho de faz-de-conta, em que Jesus é apresentado como um “amigão”, mas nunca como Senhor. Chega deste “evangelho” sem cruz, sem vergonha e mentiroso. Com certeza, Pedro está certo quando afirma pelo Espírito Santo: “... Tais homens têm prazer na luxúria à luz do dia... enganam os inconstantes e têm o coração exercitado na ganância. São malditos. Eles se desviaram, deixando o caminho reto e seguindo o caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça” (2Pedro 2:13-15).

E agora? Onde estão os apóstolos que pedem dinheiro e se envolvem com as maracutaias religiosas? Onde estão aqueles que oram pelo dinheiro sujo e pedem em nome de Deus que os abençoe? Onde estão aqueles que vendem igrejas com membros e tudo mais? Que pedem “trízimo” (não estou brincando), ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo? Onde estão os profetas com suas “profetadas” e palavras “ungidas”? Onde está a Igreja que diz proclamar em alta voz que o Brasil é do Senhor Jesus? Ouçamos Isaías: “Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem, mal; que transformam trevas em luz e luz em trevas, e ao amargo em doce, e o doce em amargo!... Por isso a ira do SENHOR acendeu-se contra o seu povo, e o SENHOR estendeu a mão contra ele e o feriu...” (Isaías 5:20,25a).

Aqui não é um julgamento. Que ninguém me venha com a falácia de “Não julgueis para não serdes julgados”, pois isso é um simplismo de que se aproveitam muitos daqueles que são desonestos e usam a Bíblia para justificar suas ações. Diante da injustiça não podemos nos calar, seja ela de um evangélico ou não. Não me chamem de evangélico, pois não quero este evangelho mercadológico. Quero apenas ser cristão, quero apenas seguir a Cristo e viver para Ele.

04 dezembro 2009

Mais um ano...e um papai noel inflacionado

Caminhava pelo Shopping, estranhamente vazio. No meio do pátio, um fotógrafo, uma assistente e um papai-noel, sozinho, tocando o sino. Passei a segunda vez pelo mesmo lugar, estavam lá o fotógrafo, uma assistente e o papai-noel, sozinho, tocando o sino.
Para cada foto sentado no colo do velhinho de barba branca, cada pai deveria desembolsar um valor de R$20,00 (vinte reais). Isso mesmo!
Não é para menos que o papai-noel estivesse sozinho. Não há crença que sobreviva a tanta inflação.
Não há mitologia que se estabeleça com tanta carestia espalhada pelo mundo.
Estamos chegando ao final do ano, e mais uma vez as lojas, os canais de tv fazem de tudo para abraçar e abarcar o nosso "pobre" dinheirinho.
O apelo cada vez mais voraz, chega chantagear nossa mente, a fim de alcançar o lugar mais profundo de nossas contas bancárias.
Natal é isso! Nada mais. As pessoas correm para comprar coisas, as igrejas para as cantatas e o mundo, no dia seguinte continua a mesma coisa, ou as vezes pior.
Pior mesmo é para o papai noel, que na minha opinião, daqui ha alguns anos estará pagando R$20,00 para quem quiser tirar foto com ele. Estará dando desconto, tirem foto comigo, e levem um presentinho. OU ainda, tirem foto comigo e ganhem duas! Ou coisas do tipo.
Confesso que este Natal conforme vejo ha 42 anos está me enchendo. Nãoa aguento ligar a TV e ver as pessoas apelando ao 13o do povo. Nao aguento ir nas igrejas e vê-las cantando a mesma cantata que cantei quando era adolescente. não aguento ver as árvores de natal cada vez mais bonitas nas casas, enquanto a miséria cada vez mais feia na cidade. Não aguento ver as pessoas correndo de um lado para o outro, sem perceber que Natal só tem sentido quando Jesus faz toda a diferença na vida das pessoas.
Estou distribuindo um cartão de "Natal" para as pessoas do meu bairro. Desejo a todos saúde, paz, e alegria, e ainda, que o maior e melhor presente que alguém pode receber, possa chegar, não pela chaminé da casa, mas pela porta do coração:Jesus Cristo.
Os "papai-noéis" ficarão chateados, mas fazer o quê se ninguém tira mais fotos com eles?

11 novembro 2009

APAGÃO


Ontem, por volta das 22h15m houve um apagão. A princípio voce imagina ser apenas na sua rua, depois você verifica que foi no bairro, e retorna para casa e liga...o rádio, e verifica que a falta de luz aconteceu em todo o município, aliás, no estado, no país e até no Paraguai.

Apagão não é algo comum, contudo, a cada dia que passa estamos cada vez mais sujeitos a ele, isso porque a demanda por energia aumenta.

Este é um problema que o governo federal precisa se preocupar. Desde a época do governo de Fernando Henrique Cardoso se falam sobre a falta de energia.

Quero chamar a atenção para duas coisas importantes:
1) ATÉ QUANDO FICAREMOS REFÉNS DE APENAS UM TIPO DE ENERGIA?

2) E O PODER DA COMUNICAÇÃO REALMENTE SE RENDE AO RÁDIO. Ontem nenhuma informação poderia ser observada na televisão, a não ser por poucos privilegiados que tinham geradores ou televisões portáteis...a maioria, como disse Lucia Hypólito, à CBN, contava apenas com um simples radinho...de pilha e uma vela.

27 outubro 2009

Jargões Evangélicos X Palavra de Deus


Vamos lá, as frases de para-choques de caminhões evangélicos que povoam a mente dos crentes. Alguns acreditam mais nelas do que na própria Bíblia. Fácil entender: eles lêem camisetas evangélicas, plásticos de carro evangélicos, bonés evangélicos e as frases de alguns pregadores populares evangélicos e pensam: bem, se tá lá, é porque é bíblico!

ORA QUE MELHORA - Nem sempre. E aí, você vai parar de orar por conta disso?

Um dia estava com uma baita dor de cabeça. Um colega de seminário, com mania de orar por tudo, nem esperou minha aquiescência, pôs a mão em minha cabeça e começou a... gritar! Exatamente isso, a gritar. No final da oração eu estava com a cabeça explodindo de dor, e com vontade de orar (contra) ele.


NO SERVIÇO DO REI JESUS - Pede o carro dele emprestado para um evangelismo na lama, depois dele ter sido lavado numa geral o veículo. Jamais! Para a maioria é só jargão e nada mais.


QUER VITÓRIA, VAI CHORANDO, GEME CHORA - Deus não se atrela apenas a choro, gemidos e mais choros. Embora compartilhe que Deus olha com cuidado aos quebrantados, Deus também dá vitória aos que estao pedindo sem chorar, sem gemer e sem chorar mais.


DECRETA, QUE ELE TEM QUE DAR! - Essa é de doer. E honestamente deve doer muito mais NEle do que em mim. Deus vira palhaço de circo, gerente de banco, garçon ou banco imobiliário. Deus só é Deus porque não está atrelado às nossas vontades. Eu que decreto para Ele? Esquisito. Parafraseando o Milton Leite, locutor da SPORTV, "se essa é a melhor oração dos crentes, os crentes tem problemas". (ele referia-se a um jogador de futebol que fez uma jogada bisonha e era considerado o melhor do time).


TÁ AMARRADO! - Essa é antiga, mas continua sendo usada para tudo. Os crentes continuam amarrando tudo, e toda hora as mesmas coisas. Ou seja, ou a corda é fraca, ou todo dia amarram a coisa errada.


EM NOME DE JESUS - Aí dá pena...de Jesus. Porque o nome dele é usado para as coisas mais bisonhentas da história da cristandade. O cara em nome de Jesus mata, em nome de Jesus ofende, em nome de Jesus tira pastor, em nome de Jesus fala mal, faz fofoca, ora contra, orienta rebeliões na igreja...


DEUS ME DEU - Ui...até hoje nao sei o que as pessoas comemoram quando dizem isso? Porque, embora também creia que tudo vem de Deus, sempre vejo as pessoas querendo ostentar algo bom e bonito (do tipo grande benção!), para testemunhar do poder de Deus. Que tal mudar um pouco e dizer, sinceramente, que DEUS NAO ME DEU, APENAS ME EMPRESTOU? Emprestado não tem graça né?


ESTA CIDADE É DO SENHOR JESUS - Aí esculhamba tudo! Azedou o leite (como diz o Silvio Luiz, agora na RedeTV), lascou de vez! Os caras fazem passeatas e dizem que a cidade é do Senhor Jesus? "Se o mundo jaz no maligno!", tem alguma coisa errada nisso aí. Que tal esses caras visitarem as estatísticas de violência, fome, prostituição infantil, pedofilia, roubo, extorsão, corrupção...vou lhe dizer, se a cidade é do Senhor Jesus, como dizem, o COI não levaria ele a sério.


NÃO SOU DONO DO MUNDO, MAS SOU FILHO DO DONO - Noooooossssa! Esse é fera! Bem, nem tanto. Considerando que o dono deste mundo, não é confiável, tudo que tem é limitado por um outro com muuuuuuuuuuuuuito mais poder e força e está fadado a um final pior do que "jogos mortais 8.000", essa frase eu não ponho no meu carro. Isso é para gente besta que quer tomar vantagem sobre os outros e diz"Sabe com quem está falando?". Considerando então o dono deste mundo, ser filho dele é um prejuízo terrível.

Se você tiver alguns para eu postar e comentar aqui no BLOG, me envie por favor, confesso que tem hora que cansa ler para-choque de caminhão gospel, prefiro ir à Bíblia...pelo menos sei que lá as coisas são sérias de verdade.

26 outubro 2009

O ser humano decepciona a Deus!

A cada instante somos "surpreendidos" com notícias que variam entre loucura e maldade, vinda de seres humanos. Percebam que a palavra surpreendidos veio entre aspas. No fundo não há tanta surpresa assim.
O ser humano é perverso, e possui uma natureza perversa. A Bíblia diz que "todos pecaram e destítuídos estão da glória de Deus", isso significa que há uma maldade alojada na alma humana, que ganha proporções inimagináveis a medida que as oportunidades surgem.
Oportunidades são as valas que se abrem e homens e mulheres mergulham, dando vasão às mais terríveis opções, aos mais sujos desejos e aos mais criativos pecados.
O ser humano decepciona irmãos, amigos, pais, cônjuges, sócios, pastores, ovelhas, clientes, desconhecidos.
Mas, mais do que tudo, embora ele conheça nossa palavra "antes que ela venha à boca" (Salmo 139), ele ainda deve sentir dores profundas com as decisões que os seres criados tomam.
Eu sei que eu mesmo já tomei decisões que devem, em seu tempo, ter causado dor ao coração de Deus. Por isso, a cada vez que sou "surpreendido" com decisões que pessoas lindas, inteligentes, e úteis tomam erradas, fico com a sensação de que mais uma vez os seres humanos fizeram o dever de casa sobre como ferir o coração do Pai.
E a gente sente demais, por sempre torcer pelo melhor do outro.

08 outubro 2009

A unção dos 900 atinge o alvo para quem recebeu, e para quem deu?


Li num artigo, na internet, que a "unção dos 900 reais", protagonizada pelo senhor Morris Cerullo, fez realmente um "estrago" no bolso de muita gente.
Milhares de "Bíblias da Prosperidade", foram distribuídas aqueles "felizardos" que abriram mão de quase mil pratas, para serem prósperos!
Tacada de Mestre. Depois falam que crente é burro, que crente é ignorante, que crente não sabe das coisas!
Qual marketing direto ou indireto atingiria com tanta velocidade o seu alvo? Eu que estudei, parcamente publicidade e trabalhei numa agência por não menos parcos 12 meses, via o sacrifício que algumas peças tinham para oferecer aos clientes os resultados esperados.
Morris Cerullo não! Bastou uns minutos na televisão, para que milhares de pessoas se convencessem a ganhar uma "Bíblia da Prosperidade", doando 9 notas de 100, ou 18 de 50.
Agora, pensem comigo. Se a resposta ao apelo do pregador americado, deu resultados imediatos aos cofres silacianos, como medir o resultado dos "felizardos" que cooperaram?
Como saber se os milhares que entregaram vão em uma semana arrecadar quase 2 milhões de reais? Será possível este milagre? Creio que não! Desculpem-me a incredulidade, mas creio realmente que não.
Aí está a questao. Normalmente estes apelos fazem grande diferença nos que a propagam. Mas o pobre coitado (aliás, que entrega 900 reais assim, nem tão pobre é), precisará trabalhar muito, perder noites de sono, fazer serões, acreditar e ser corajoso para apostar numa empreeitada financeira que pode ou não dar certo!
Daqui a pouco vamos ver na TV alguns testemunhos: "Eu dei 900 reais e Deus mudou a minha vida!", dirá o "apostador" : "Eu tinha 6 mil cheques na rua sem fundos, e fui trabalhando, trabalhando, confiando, e hoje estou aqui. Tenho 3 carros na garagem, 2 apartamentos, minha mulher vai no cabeleireiro a hora que quer e meu filho compra a roupa que deseja".
É mais ou menos como ouvi de um pastor (Bispo, apóstolo, chefe da guarda divina, capitão celestial, sei lá qual o cargo), disse pregando: "Eu fui a Israel e paguei em 10 vezes, hoje eu levo minha familia quantas vezes desejar e pago a vista". Testemunho lindo! Ele podia ter dito que economiza para ajudar crianças de rua, mas vai que não tem o mesmo efeito na hora da troca financeira, lá no céu.

23 setembro 2009

Impressões do meu novo livro, do lado de quem já leu!

"acabei de ler seu livro 40 dias no deserto, e quero dizer que gostei muito.tenho passado por momentos muuuuiiiito difices na minha vida, um verdadeiro deserto.mais o livro tem me ensinado a passar por cada gigante tendo sempre um alvo e principalmente fé, e auto confiança!suas esperiencias descritas no livro me fizeram enxergar que devo sempre "olhar para o alto e para frente..."li uma frase que diz: a vida só pode ser entendida olhando-se para tras, mais só pode ser vivida olhando- se para frente!e é o que eu tenho procurado a cada dia. meu alvo tem sido ser uma verdadeira adoradora sempre.
esse livro foi e tem sido para mim como um "livro de alto-ajuda" parece que em cada pagina vejo minha vida descrita.e vou buscar valorizar ainda mais meus "amigos do deserto", saber escolher meus "alimentos do deserto", vigiar mediante aos "perigos do deserto", saber transformar as "dores do deserto" em alegria, agradecer a Deus pelos "milagres que se vêem no deserto", saber escolher os "abrigos do deserto", buscar "as mudanças do deserto", levar pra frente a "maturidade que nasce no deserto", vencer a cada dia "os gigantes do deserto", ter a certeza que " ainda ha sonhos no deserto", e viver meus "40 dias no deserto" sabendo que quando eu passar por ele... jamais serei a mesma!!!
hehe.... meu Deus é muito bom... sei que ele escolheu a dedo as pessoas que colocou na minha vida... e você atraves desse livro me fez crescer muuuitoo. mesmo que distante, saiba que aqui você fez uma dicipula... rsrs, e sei que mais tarde, laaa no futuro, vou poder ajudar muitas pessoas com a experiencia que tenho vivido..."
"acabei de ler teu livro, é bom....kkkkkkkkkkkkkkktipo dá pro gasto...rsrsrs Valeu pastorzão!!!!SENSACIONAL O LIVRO!!!!!! "
"Oi Wellinson li o seu livro, gostei apesar de não ser muita novidade para mim, porém tem uma linguagem fácil para alcançar pessoas de diferentes culturas.
Agora tem duas coisas importantes no qual vejo ser abordado para se compreender a importância de se passar pelo deserto que são: reconhecer os erros e pedir perdão a Deus pelo erro, perdão a nós mesmo (para não haver culpa pelo erro) e perdão as pessoas que se frustraram, se decepcionaram por conta do erro e ser humilde para sempre ouvir e aprender com as experiências e vivências tanto nossas como do outro.
Abraço e que Deus possa estar te abençoando e dando sabedoria para falar e solucionar as dificuldades que vier pela frente".

"Comecei a ler seu livro ontem, e estou fazendo isto bem devagar para degustar cada palavra. O unico problema, eh que nao consigo ler sem chorar.Wellison, este livro eh o primeiro dos seus que tenho a oportunidade de ler, e tem me falado profundamente, e eu estou apenas no comeco. Gostaria muito de conversar pessoalmente com vc, pois estou passando por este deserto , sei que ja esta no final, eu gostaria de pensar em voz alta com alguem".
"Acabei de ler seu mais recente livro 40 dias no deserto-quem passou por lá jamais permaneceu o mesmo, e agradeço a DEUS pela inspiração dada ao meu pastor Wellison,por ter escrito um livro tão abençoador por tratar a nossa vida vida de uma forma tão simples e objetiva ,mostrando-nos a nossa humanidade com a necessidade que temos de recebermos a ajuda principalmente divina e também dos homens através dos amigos.Recomendo este livro a todos ,pois nos ensina a viver da melhor forma possível,não nos isentando de passar por situações difíceis,pois o que importa não é o que fizeram com você ,mas o que você faz com o que fizeram com você.DEUS o abençoe grandemente pr. Wellison."

19 setembro 2009

Faleceu ,Hoje, dia 19 de setembro de 2009 às 4:46 NOS EUA, 06:46 de Brasília- BRASIL Pastor Dr. Nilson do Amaral Fanini Nascido em 8 de março 1932, Natural do Espirito Santo com 77 anos de Idade. Neste Domingo, 20 de outubro, haverá um culto a Deus na Igreja de sua Filha Margareth ( Igreja Hispânica Getsemani).
Durante esta semana de 21 a 26 haverá preparativos nos EUA aonde sucederá um Memorial para todo o povo americano em Fort Word ( Seminário ) em Dallas, local onde ele fez seu Mestrado e Doutorado. O povo Americano virá de todo o lugar da América para prestar esta homenagem a quem eles reconhecem,juntamente com Dr. Billy Ghram, os dois maiores evangelista das ultimas décadas. Na semana de 28 de Setembro a 2 de outubro estaremos recebendo o Grande Lider Brasileiro, Batista, Pastor Nilson do Amaral Fanini a fim de prestarmos nossa ultima homenagem a este servo. Culto: Em sua Igreja: Igreja Batista Memorial de NiteroiCulto: Câmara Municipal de Niteroi Obs. Na Ocasião, o corpo do Pastor estará se deslocando em carro aberto do Corpo de Bombeiro na Cidade de Niteroi, passando em frente da Igreja onde Pastoreou durante 41 anos ( Primeira Igreja Batista em Niteroi) - passará em frente a sua Igreja Memorial onde é o lider religioso, e outros lugares que a família julgar oportuno. A cerimonia de Culto na Camara Municipal de Niteroi obedecerá o protocolo oficial para recebimento de autoridades constituídas. QUEM FOI O PR NILSON DO AMARAL FANINI Números e realizações grandiosas sempre acompanharam a trajetória do pastor batista Nilson do Amaral Fanini, um dos mais conhecidos e respeitados líderes evangélicos do país. Fanini, que nos últimos 41 anos liderou a Primeira Igreja Batista de Niterói (RJ), realizou cruzadas em 109 países, celebrou cerca de 11 mil batismos e ocupou cargos importantes como a presidência da Convenção Batista Brasileira (CBB) e da Aliança Batista Mundial, que congrega mais de 100 milhões de fiéis em todo o planeta. Figura pública de destaque, ele fundou e presidiu há mais de 30 anos o Reencontro, megaentidade que presta atendimento médico, educacional e social aos carentes. Homem de mídia, Fanini manteve no ar, por três décadas, programas de rádio e TV, publicou cinco livros e produziu milhares de mensagens, estudos bíblicos e trabalhos de cunho teológico.Ao longo de quase meio século de ministério, o líder batista tornou-se referência dentro e fora do segmento evangélico, a ponto de ter sido interlocutor de todos os presidentes brasileiros desde o general Ernesto Geisel, nos anos 70. Munido de um currículo tão vistoso, aos 73 anos. organizou a IGREJA BATISTA MEMORIAL EM NITEROI, onde é o Lider religioso até esta data. Ao seu Lado Sempre esteve como coluna Central sua esposa Helga Fanini a qual ele a chamava de " Minha Helga", deixa filhos ,noras ,genros e netos, todos com moradia no E.U.A. Hoje 19/09/2009 recebeu a mais Alta Comenda do Grande General O DEUS TODO PODEROSO: Foi chamado para estar ao lado de Deus. Perfilar o Coral Celestial - Seu Hino Preferido - Quando Cristo sua Trombeta lá do Céu Mandar Tocar - Cantor Cristão - Seu Salmo preferido 121 do Livro dos Saltérios.

07 setembro 2009

Lançamento do Livro "40 Dias no Deserto"















Lançamento do Livro 40 Dias no Deserto, na Primeira Igreja Batista do Grajaú, no dia 06 de Setembro. Foi super legal ver o interesse das pessoas em ler e ser edificada com leitura que faz bem a alma e o coração.
Desde o lançamento do meu primeiro livro "Simplesmente Igreja", em 1999, tenho experimentado a sensação maravilhosa de autografar milhares de livros e abençoar pessoas com um texto simples, mas sempre tocante na alma e no coração.
Caso você deseje o livro 40 Dias no Deserto - Quem Passou por Lá Jamais Permaneceu o Mesmo - escreva para pr.wellison@gmail.com ou falecomw.books@gmail.com e peça o seu exemplar, que enviaremos pelo correio.
Obrigado aos que estiveram presentes e aqueles que escreveram já pedindo o livro, desde já espero que sejam ricamente abençoados com a leitura desta minha sexta publicação.

22 agosto 2009

LIVRO NOVO NO PEDAÇO


Se você desejar adquirir o livro 40 dias do Deserto - quem passou por lá jamais permaneceu o mesmo, faça contato através deste blog ou do email pr.wellison@gmail.com ou ainda falecomw.books@gmail.com .
Formato do livro 14x 21 cm
108 páginas.
Editora: W.Books Editorial
Capítulos:
1. Os Amigos do Deserto
2. Os alimentos do Deserto
3. Os perigos do Deserto
4. As dores do deserto
5. Os milagres que se veem no deserto
6. Os abrigos do deserto
7. As mudanças do deserto
8. A maturidade que nasce no deserto
9. Vencendo os gigantes do deserto
10. Ainda há sonhos no deserto
11. 40 dias no deserto
12. Nada será igual depois disso
O livro traz ainda um apêndice interessante. Para cada capítulo existem 3 perguntas nas mensagens que vem do deserto. Elas servem para reflexão, discussão em grupos pequenos, ou ainda para uso doméstico ou devocional.

15 agosto 2009

ATÉ ONDE IRÃO COM ISSO? O evangelho de Morris Cerullo e Silas Malafaia

Não uso o meu BLOG para falar mal de ninguém. Jamais faria. Não gosto em espaços privados, quanto mais em espaços públicos, como este. Meu comentário, contudo, não tem a ver com sinais condenatórios, mas explanações que ajudem aos visitantes, amigos fiéis deste espaço, a refletirem sobre o que dizem as Escrituras Sagradas. A IGREJA EVANGÉLICA BRASILERA se perdeu! Não me digam que a "unção tal" , ou "o ungido tal", tem a ver com Deus, se o que eles dizem e fazem não se parece em nada com Jesus de Nazaré. No vídeo que você acabou de assistir, ou ainda vai, vemos, infelizmente, com muita tristeza, que o dinheiro é uma conversa com agenda certa nos programas evangélicos de TV. É gente promovendo a si mesma, discutindo sobre a vida alheia e metendo o "cacete" em outros pastores.

Recordo-me que o apresentador deste programa, do vídeo em questão, por diversas vezes, condenou um renomado, respeitado e literalmente reverenciado pastor evangélico que caiu em desgraça, após confessar publicamente um pecado de ordem sexual. Mas será que tudo isso que você está vendo também não é cair? Ou nós, evangélicos, assumimos descaradamente, despudoradamente a premissa de Maquiavel, onde os fins justificam os meios? Temos mesmo, para bancar a "pregação" do evangelho mentir, enganar, barganhar ou outras atitudes mais?

Até quando vamos para os cultos evangélicos agradecer "a grande bênção de Deus", que foi comprar instrumentos musicais importados sem passar pela alfândega? O pastor cai somente porque adultera com uma mulher? Ou um pastor também cai quando adultera a verdade das Escrituras? E quando adultera apaixonando-se por dinheiro e poder?

Que vozes proféticas se levantem para anunciar as verdades de Deus como elas são, sem religiosidade aparente, sem religiosidade abusiva, sem religiosidade gritante que tem feito seguidores de Deus, aparentemente e infelizmente, ex-seguidores.

14 agosto 2009

Ser um bom pai é melhor ainda!

O legal disso tudo, é que quando resolvi escrever o meu livro SER PAI É BOM, MAS SER BOM PAI É MELHOR AINDA, não conhecia a vida de Dick Hoyt. Mas ela inspira, e espero que ajude você a compreender o que significa realmente paternidade.

05 agosto 2009

O que fazer com a palavra ética?


Se gritar ’pega ladrão’, não fica um, meu irmão. Se gritar ’pega ladrão’ não fica um... (Ary do Cavaco e Bebeto di São João) ou... Tem gente no parlamento com tanto pecado que nem pro inferno iria, e se decidir graça à sua alma nem mesmo o capeta aceitaria. Cristo ia chorar só de ver que o homem se rebelou esquecendo aquilo tudo de bom que o Divino Mestre ensinou (Bezerra da Silva)".


Impressionante como nossos deputados, senadores, ministros, não se cansam de se apresentar como canalhas, calhordas, patifes, inescrupulosos e outras adjetivos pejorativos mais. Deixe aqui ou em qualquer lugar o seu protesto, o seu manifesto, contra tudo que temos visto e ouvido todos os dias nos jornais.


Enquanto crianças morrem com balas perdidas, enquanto grávidas se vão por morte suína, enquanto meninas se prostituem nas praias nordestinas, os patifes de plantão, que ganham mais de cem mil reais por mês para roubarem mais ainda, envergonham a política nacional e enoja a caminhada democrática brasileira. Deixe aqui ou em qualquer lugar o seu protesto, faça como Bezerra da Silva, fique indignado com essa gente que está longe de fazer aquilo que o Mestre ensinou.

30 julho 2009

Entrevista com Ricardo Gondim

Gondim confessa mágoas e reafirma sua fé no Evangelho
“Tenho mágoa de quem me chamou de herege”.
Fim de culto na Betesda. A igreja ocupa um imenso galpão na zona sul de São Paulo. Ricardo Gondim chama um dos pastores para fazer a oração final e deixa a plataforma a passos rápidos enquanto a congregação está de olhos fechados. No entanto, em vez da saída à francesa, ele opta pela “versão Ceará”, postando-se à porta do templo para cumprimentar as pessoas. Tudo como manda o mais autêntico figurino presbiteriano. Posa para fotos, autografa livros e distribui sorrisos e abraços para aos que se comprimem à sua volta.
Para desapontamento de inúmeros desafetos, o escritor e pastor parece revestido de uma espécie de couraça contra os rótulos que lhe são atirados com freqüência. “Arrogante”, “herege”, “polêmico” e “mundano” são apenas alguns, digamos, publicáveis. Após receber muitos protestos sobre as supostas heresias defendidas por seu articulista, a revista evangélica Ultimato se pronunciou no ano passado (edição 308) usando dois adjetivos sobre os textos de Gondim: “Apreciados” e “saudáveis”. Um rápido exame nas dezenas de textos de seu visitadíssimo site já é suficiente para identificar algumas preferências pouco (ou nada) ortodoxas para um líder pentecostal. De Vinicius de Moraes a Lenine, a lista para lá de eclética inclui nomes como Almodóvar, Rubem Alves e Simone Weil. Com o fôlego de quem correu onze maratonas e dezesseis vezes a São Silvestre, Gondim revela que a corrida funciona como espécie de exorcismo para ele e para os amigos que o acompanham. “Após vários quilômetros percorridos, costumamos dizer que suamos vários demônios”, graceja. Ao receber CRISTIANISMO HOJE, cercado de livros numa filial da Livraria Cultura – templo-mor das letras na capital paulista –, Ricardo Gondim olhou na janela para o prédio da TV Globo e perguntou se Kixapágua (entidade que atua por trás da Vênus Platinada, segundo o apóstolo da Igreja Renascer, Estevam Hernandes) não iria atrapalhar o papo. Das risadas iniciais à emoção ao tocar em dores ainda sensíveis, o pastor falou sobre muitas coisas, inclusive de suas mágoas.
CRISTIANISMO HOJE – Agora em maio, duas grandes catástrofes – o ciclone em Mianmar e o terremoto na China – assustaram o mundo e novamente levaram os crentes a pensar sobre as razões do sofrimento humano. Como o senhor, que na época do tsunami ocorrido na mesma Ásia em 2004 causou polêmica com um artigo sobre as tragédias, analisa a questão do sofrimento humano diante da existência de um Deus que se apresenta ao homem como pleno de amor?RICARDO GONDIM – Discordo da explicação fundamentalista de que “todas as tragédias são provocadas pelo pecado original”. É um simplismo cruel e inútil. Como escrevi inúmeras vezes, não consigo acreditar numa divindade que tudo ordena e orquestra. Em Os irmãos Karamazov, de Dostoievski, Ivan diz num certo momento: “Há uma coisa no Universo que clama: o choro de uma criança”. O Deus da Bíblia não é sádico de provocar a morte de milhares de vidas. Exatamente pelo fato de Deus ser amor, ele possibilita a felicidade e a infelicidade. Nossas escolhas, decisões e articulações sociais interferem nos resultados. Ao mesmo tempo, a vida é trágica e feliz. Deus é sempre parceiro do homem nessa busca de tornar a vida mais intensa e prazerosa. Como afirma André Comte-Sponville, “somos os únicos seres do Universo que podem humanizar ou desumanizar”.
Na época do tsunami, teólogos se insurgiram contra alguns de seus textos, desfiando uma série de argumentos. Hoje, o senhor é mestrando em ciências da religião na Universidade Metodista. É importante estudar teologia? Depende de como você entende a teologia. Deus não pode ser dissecado. Como disse Paul Tillich, “Deus está além de Deus”. Entendo teologia como o estudo e a maneira como organizamos nossa vida a partir da compreensão que temos de Deus, ou, lembrando Rudolf Otto, do nosso “encontro com o sagrado”.
Mesmo entre as pessoas que não professam nenhuma religião, a sucessão de fatos trágicos e de episódios de crueldade humana explícita, como o assassinato da menina Isabella Nardoni, sugerem que algo muito grave e de contornos ainda indefinidos esteja acontecendo. O atual recrudescimento da brutalidade humana aponta a proximidade dos eventos escatológicos bíblicos ou são apenas novas expressões de um quadro que sempre houve? Todos esses fatos recentes são apenas expressões de algo que sempre aconteceu. Repare que, ao longo da história, foram comuns perseguições contra judeus, hereges, escravos… A própria Reforma Protestante foi um episódio violento. Em Casa grande & senzala, Gilberto Freyre discorre sobre o que algumas senhoras faziam por ciúme da beleza das escravas. Quebravam-lhe os dentes com chutes ou mandavam-lhes cortar os peitos. De certa maneira, creio que o que aumentou foi o nível de intolerância social à brutalidade – por isso a comoção e a revolta provocadas por esses episódios.
Quando foi a última vez que o senhor chorou?Na semana passada, durante reportagem na TV sobre o terremoto da China. Depois de quatro dias, conseguiram resgatar uma criança com vida. Um pai tentou invadir a ambulância ao imaginar que era seu filho. Chorei ao ver o desespero daquele homem.
Quais são as principais diferenças entre o Ricardo Gondim de hoje e aquele que começou o ministério há três décadas? Eu era um homem com um idealismo ingênuo. Não sabia diferenciar ilusão e encantamento. Ilusão é baseada em fantasias; já o encantamento nasce da observação da realidade. Continuo encantado com o Evangelho, com “E” maiúsculo.
Então, quem é Ricardo Gondim?Um homem introspectivo e nostálgico. Gosto de ambientes intimistas e tenho profunda necessidade de estabelecer relacionamentos significativos, sem trocas ou quaisquer tipos de interesses.
Nos últimos cinco anos, o senhor tem se notabilizado como um crítico do segmento evangélico. Iniciativas como o blog Outro Deus e a maciça produção de textos nesta linha têm marcado seu ministério. Até que ponto isto se confronta ou complementa sua atuação pastoral? Comecei a escrever pelo fascínio da própria literatura, cuja excelência intrínseca é maior que a da oralidade. Esse exercício adensa pensamentos e complementa idéias que surgiram nas mensagens. Todas as semanas posto textos inéditos e meu site recebe cerca de 1.400 visitantes por dia e mais de 1,5 mil e-mails por mês.
Em seus pronunciamentos recentes, o senhor revela a vontade de afastar-se de tudo e chega a sugerir que as pessoas não compareçam sequer aos eventos que promove. No entanto, o senhor continua participando e promovendo eventos destinados ao público evangélico e permanece na direção da Betesda – uma igreja com corte social de classe média urbana, presença na mídia e atuação institucionalizada, como tantas outras denominações cuja existência legitimam suas críticas. Não é um paradoxo?É preciso definir os acampamentos. Há um movimento evangélico que mostra ter exaurido as forças. Alguns sinais dessa exaustão são a falência ética e as campanhas constantes para trazer pessoas à igreja. Para mim, agenda cheia demonstra fraqueza. Para fidelizar o público, há gente buscando atrações cada vez mais fantásticas. No caso da Betesda, é explícita a posição de não repetir modelos falidos e teologias engessadas da década de quarenta. O que faço hoje são eventos voltados para a própria igreja. Recentemente, decidi suspender o Congresso de Reflexão e Espiritualidade, voltado basicamente para pastores, que acontece há vários anos. E não compactuo com nenhum messianismo do tipo “impactar a nação por meio de eventos”.
Falar de gigantismo e inchaço da Igreja brasileira tornou-se atitude recorrente nos últimos 20 anos, período no qual a população evangélica do país quase triplicou. Quais são, na sua opinião, os efeitos de tal avanço? Existem premissas equivocadas na tradição evangélica e na práxis desta Igreja?Alguns efeitos são perigosíssimos. A Igreja passou a ser vista como outra força, entrando na disputa de poder. O crescimento acentuado enfraqueceu o zelo pelo conteúdo da mensagem. Isso promoveu sentimentos de ufanismo e triunfalismo desmedidos. Mas não ocorreu avivamento. O que aconteceu foi uma confluência de fatores sociológicos que explicam o crescimento do rebanho. Não é necessário enfatizar princípios espirituais para explicar o aumento do número de evangélicos.
O movimento da Igreja emergente, que tem ganhado força nos EUA, começa a influenciar lideranças no Brasil. Qual é o seu posicionamento acerca dele?Depois de muitos anos de crescimento do fundamentalismo, nomes como Brian McLaren, Rob Bell e o próprio Phillip Yancey representam um certo ar fresco na ambiência evangélica dos Estados Unidos. Ainda assim, vejo o movimento como algo norte-americano, sem diálogo com outras tradições cristãs ao redor do mundo.
A dinâmica dos grupos pequenos cresce no contexto do Evangelho urbano. Eles vão representar necessariamente a extinção das grandes igrejas? O futuro mais lúcido da Igreja Evangélica está nos pequenos grupos. As instituições não vão acabar; porém, não serão solo fértil para as grandes inovações. Enquanto as grandes igrejas repetem clichês, pessoas reunidas em grupos menores vão experimentar o enriquecimento da alma.
Quais foram os motivos da recente divisão ocorrida na Igreja Betesda, cujo núcleo em Fortaleza, no Ceará, desligou-se da sede em São Paulo? Não houve desligamento de São Paulo. O que aconteceu foi uma divisão dentro da Betesda de Fortaleza. Um grupo alegou que minhas propostas teológicas eram “incompatíveis”. No entanto, na realidade tratava-se apenas de disputa interna de poder. Na época, a igreja perdeu alguns líderes e cerca de 40% dos membros.
Igrejas pentecostais como a Assembléia de Deus, à qual o senhor foi ligado, foram durante muito tempo estigmatizadas devido ao perfil de sua membresia, prioritariamente formada por pessoas dos estratos sociais mais populares. De acordo com sua observação, essa visão ainda persiste?Um dos fenômenos comprovados em relação aos pentecostais foi a ascensão social do segmento. Obviamente, isso trouxe benefícios e problemas. A produção teológica e literária é um fator positivo. Por outro lado, muitas pessoas passaram a se comportar como os demais estratos da população, supervalorizando o status e outros sinais de riqueza. Daí para a teologia da prosperidade pregada pelos neopentecostais a distância foi curta.
“Ao tentar transformar-se em ciência, a teologia só conseguiu produzir uma caricatura do discurso racional, porque essas verdades não se prestam à demonstração científica.” As palavras são de Karen Armstrong, autora do livro Em nome de Deus – O fundamentalismo no Judaísmo, no Cristianismo e no Islamismo. Qual a face mais aguda do fundamentalismo no Cristianismo de hoje? O fundamentalismo confunde fé com aceitação de conceitos doutrinários. Seus defensores acreditam numa verdade que pode ser totalmente abraçada a partir de certas lógicas. Crêem chegar a uma verdade plena, fechando-se ao diálogo.
Quem são, hoje, as lideranças e pensadores que influenciam sua atuação ministerial?Além da ala “emergente” (Bell, McLaren), tenho lido autores católicos latino-americanos, como Juan Luis Segundo. Gosto bastante também das obras do espanhol Andrés Torres Queiruga, além de teólogos judeus como Jonathan Sacks e Abraham Heschel.
Ideologicamente, como o senhor se define?Sou um pensador independente, de esquerda. Não acredito no neoliberalismo capitalista. Ele produz os excluídos. O Evangelho defende os pobres e os marginalizados.
O senhor é um autor bastante apreciado pelos crentes brasileiros. Qual sua opinião sobre a literatura evangélica em nosso país?A produção literária evangélica é deficiente. A razão é o freio dogmático que gera pessoas mais preocupadas com a defesa da fé do que em produzir literatura.
Quais os autores que mais o influenciam?Entre vários escritores que fazem parte da minha vida, posso citar José Lins do Rego, Machado de Assis, Thomas Mann e Victor Hugo. O clássico Os miseráveis é uma das minhas obras favoritas.
Lançado em 1998, É proibido (Mundo Cristão) é um de seus livros mais vendidos. Dez anos depois dele, o que a Bíblia permite e a Igreja ainda proíbe?A Igreja brasileira ainda não soube, por exemplo, lidar com a questão do álcool. Os conceitos lembrados remetem à Lei Seca dos Estados Unidos. Portugal já resolveu essa questão de forma equilibrada há muito tempo e ninguém fica escandalizado ao ver um cristão tomar vinho.
E a relação do povo evangélico com a arte, por exemplo?É esquizofrênica e mal-resolvida. Dicotomizaram as manifestações artísticas em “sacra” e “profana” – mas não fazemos essa mesma distinção na hora de ler um texto. Em resultado disso, os cristãos sofrem empobrecimento generalizado na hora de saborear e desfrutar da vida. As expressões mais belas de uma geração estão em sua produção artística.
No ano passado, a Editora Ultimato publicou Eu creio, mas tenho dúvidas, obra que traz vários de seus artigos. Quais são suas principais dúvidas e inquietações?Reflito com freqüência sobre a banalidade da vida. Basicamente, essas reflexões são ressonâncias do livro de Eclesiastes: nem sempre o justo prevalece, nem sempre o forte vence, nem sempre a vida faz sentido…
Em mensagem pregada recentemente, o senhor afirmou que às vezes lhe vêm à mente pessoas que o machucaram, e confessou ter mágoa de algumas delas. Como é esse sentimento? Tenho mágoa de pessoas que lidaram comigo a partir de rótulos e preconceitos. Tenho mágoa de pessoas que foram intelectualmente desonestas comigo, tentando desconstruir meus textos sem sequer ler as referências. Tenho mágoa de pessoas que me chamaram de “herege” e “apóstata”, uma verdadeira perversidade de gente que não conhecia toda a extensão das questões em debate.
Fonte: Cristianismo Hoje

20 julho 2009

Amigos e "amigos"

Recordo-me do programa do Jô Soares que tinha um personagem "El Calderon", que sempre que lhe pediam algo difícil, inusitado, perigoso e que trazia prejuízo para ele. Quando aquel que lhe fez o tal pedido, dizia que era amigo, ele respondia com sarcasmo: "muy amigo, muy amigo".
Existem amigos que parecem ironia, brincadeira. Não são amigos, são apenas meros colegas.
Eu tive e tenho amigos. Amigos com quem posso compartilhar minha vida sem que a amizade as faça desaparecer. Seria até injusto citar nomes daqueles que caminharam comigo ao longo da vida.
Eu tenho amigos, talvez porque também goste de ser amigo.
A você que passa sempre por aqui, é meu amigo, feliz dia do amigo, feliz dia, feliz ano, feliz vida. De verdade.

14 julho 2009

Como vencer neste mundo?

Todo mundo fala sobre isso, aliás, muita gente fala sobre isso. Antigamente eram nomes como Godry e Layr Ribeiro, hoje os nomes que falam sobre sucesso, vitória, vencer, ganhar, soman-se nomes como Silas Malafaia, Renê Terra Nova e outros evangélicos que ocupam os espaços na agenda televisa Brasil a fora, e carregam expressões ou jargões que os "crentes" adoram.
A pergunta deste post é "Como vencer neste mundo?", a resposta, a luz de muito do que tenho ouvido (aliás, tenho ouvido não, porque para ser sincero tem coisas que não paro mesmo para ouvir) os verbos conjugados para a vitória são: trabalhar, buscar, acreditar, determinar.
Ora, qualquer um então pode "pregar" estas verdades. Qualquer um pode inclusive transformar estas palavras em "palestra motivacional" ou em sermão evangélico para ser pregado em qualquer púlpito brasileiro.
Inclua-se por exemplo: Trabalhar ("vai ter com a formiga ó preguiçoso), encontrado em Provérbios. Buscar (Buscai pois, em primeiro lugar o Reino dos céus..."), lido em Mateus. Acreditar ("o que queres que te faça?"), dos evangelhos ou ainda o verbo determinar (Pedi e DÁR-SE-VOS-Á), pronto! Você pode ter um sermao ou uma palestra motivacional.
Alguns preferem o "sermão", porque para alguns citar versos bíblicos transformam a mensagem em mensagem bíblica. Não acho que é por aí não!

06 julho 2009

AMAR É A CHANCE QUE TEMOS DE VIVER NUM MUNDO MELHOR

Os jornais da segunda-feira traziam a notícia de um ônibus, metralhado em plena avenida Brasil. Mas não era apenas isso, noticiava também dois jovens baleados, numa mata, o namorado foi morto, a namorada ficou em estado gravíssimo.
As ruas estão cheias de ódio. A cidade está coberta de sangue. As casas estão eivadas de sentimentos ruins, entre os seus, e a intolerância religiosa tem provocado o choro de homens e mulheres em todo o mundo.
Você já perguntou qual o seu papel nisso tudo? Pois bem, como cristãos que somos, temos o grande desafio de minimizar o ódio, rancor, mágoa, feridas e outros sentimentos naturais de um mundo que “jaz no maligno”.
Temos a oportunidade de amar pessoas, sejam as próximas ou as distantes. Amar pessoas. Perdoar pessoas. Gostar de pessoas.
Podemos mudar o índice das brigas de trânsito, do estresse do trabalho. Podemos melhorar nos relacionamentos, no atendimento ao público, nos cantos da casa, nos quartos que dormimos ou na Igreja que freqüentamos. Amar é...ter a chance de viver num mundo melhor, pelo menos enquanto amamos de verdade.

Paz e graça, do amigo
Pr.Wellison Magalhães

02 julho 2009

Uma alma desnudada

É assim que pretendo ministrar nos encontros de celebração na Primeira Igreja Batista do Grajaú, baseado no sermão do monte.
O Pr.Ivênio dos Santos escreveu o livro ALMA NUA, baseado nos princípios de Jesus, declarados no texto de Mateus 5.
Na verdade é assim que nos sentimos quando lemos o sermão do monte: NUS, completamente, nus.
Não há religião que sustente diante da riquíssima verdade pregada por Jesus. Não há piedade humana que possa enveredar pelo caminho do sermao da montanha e achar que pode esta piedade ter algum valor.
Nus, completamente nus as pessoas se sentirão ao ouvir que muito do que eram, nao são. Quando ouvirem que muito de sua vida religiosa nunca matou o ser interior, a ponto de permitir Jesus ser Senhor.
Nus, completamente nus nos sentiremos, ao percebermos que estamos ainda longe do altíssimo padrão pregado por Jesus naquele dia, naquele monte.
Caso deseje ouvir as mensagens, elas serão ministradas durantes as celebrações da Igreja, às quartas e domingos, é possível que gravemos em CD e disponibilizemos para os interessados.

29 junho 2009

Voltei do Haggai, e foi bom!

Ouvimos lá pastores como Paulo Solonca, Ed René Kivitz, Ebenezer Bittencourt e Jeremias Pereira. Ouvimos mensagens abençoadoras em Sampa. Foi bom ver centenas de pessoas se colocando diante de Deus e aprendendo a viver e ver a Igreja como uma comunidade que precisa ser relevante para esta geração.
Eu desejo ser relevante para este tempo e você?

25 junho 2009

Eu no Haggai

Amigos do Blog, de hoje a domingo estarei em Sampa, participando do congresso do Instituto Haggai. Vou como ouvinte, como congressista, como ovelha, como treinado, como liderado, como gente que precisa se alimentar para poder alimentar os outros...vai ser bom, tenho certeza. Texto novo por aqui, só semana que vem.
Abraços por ter passado por aqui, se desejar curta outros textos postados neste espaço, que também é seu.

22 junho 2009

Saiba sobre avivamento!

O texto é maior do que o que normalmente posto aqui no BLOG, mas vale a pena ir até o final.
Consequências do avivamento
Igreja: Transformação da liderança, multiplicação de membresia, aumento do número de cultos diários.
Liturgia: Aumento da importância da oração nas celebrações, cultos longos, com assistentes que não querem ir embora, aumento da intercessão, confissão pública de pecados.
Membresia: Renovação das forças, transformação de atitudes, solidificação de suas bases de fé e certeza da salvação, relacionamento profundo com Deus.
Sociedade: Transformação radical, queda de índices de violência e delitos, maior amor pelo outro.
Movimentos Avivalistas na História
Na Bíblia
Asa (2 Cr. 14.1-5)
Destruiu altares, altos, bosques, quebrou imagens.
Ordenou o povo observar a lei e o mandamento.
Josafá (2 Cr. 17.3-5)
Destruiu altares e altos.
Criou sistema de educação religiosa itinerante, levando a lei ao povo.
Ezequias (2 Cr. 29:1-11)
Reabriu e consertou as portas do templo.
Restabeleceu o culto templar a Iavé.
Ordenou a purificação do templo da “imundície”.
Josias (2 Cr. 34)
Despedaçou altares, altos e bosques até virarem pó.
Reparou a casa de Deus.
Encontrou e devolveu ao povo a lei do Senhor.
Jesus Cristo
Lutou contra o legalismo religioso.
Morreu para livrar o povo do pecado.
Viveu pelos pobres e excluídos da sociedade, reinserindo-os através de suas curas.
Condensou toda a lei em duas cláusulas máximas: Amor a Deus e amor ao próximo.
Na idade média
Francisco de Assis (séc. XIII)
Igreja da época: Rica, exuberante, exibicionista.
Assis: Renunciou à riqueza pessoal para buscar uma vida de contemplação a Deus e à natureza.
Savonarola (séc. XV)
Atacou o luxo e a avareza da igreja reinante.
Lutero
Voltou à simplicidade da fé evangélica bíblica da salvação pela fé no sacrifício vicário de Jesus.
Na era reformada
Jonathan Edwards (1733-1741)
Precursor do Grande Despertamento, considerado o maior teólogo americano.
O Grande Despertamento: 1739-1791
George Whitefield
Religião na Inglaterra: Fria, moralista, calvinista (incerteza da salvação, predestinação ao céu ou ao inferno), imoral. Prédios deteriorados, igrejas vazias. Classe alta ria da religião, classe baixa rude e grosseira.
Clube Santo: Grupo de jovens interessados numa nova vida espiritual (Wesleys e Whitefield, mais alguns jovens).
Ano novo de 1739: Irmãos Wesley recebem o “poder de Deus”, Whitefield segue 13 dias depois.
Característica do movimento de Whitefield:
Pregações públicas
Demonstrações públicas de arrependimento pessoal (choro alto, prostração no chão, agonia e gritos de dor) pelo pecado.
Pregações emotivas.
Ação social (orfanato), adoração a Deus pelas obras.
Evangelho “curador, terno e positivo”.
John e Charles Wesley (movimento Metodista)
Ação na Inglaterra e nos EUA.
“Novo nascimento” em 24 de maio de 1738, lhe dá a segurança da salvação.
Características do movimento de John Wesley
Demonstrações públicas de arrependimento, com trmores e agonia violenta de dor pelo pecado.
Pregação da segurança da salvação.
Pregação sobre santidade e fuga do pecado.
Mensagens longas, consecutivas.
Sociedades de reavivamento: Grupos de convertidos que se uniam para adorar ao Senhor.
Buscou manter seu movimento dentro do seio da Igreja Anglicana, amando-a até sua morte.
Fundação do movimento Metodista.
Pregador itinerante, viajante (365.000 km de viagem, 46.000 pregações!!).
Pregação integrante: Homens de qualquer raça eram aceitos nas igrejas avivadas.
Charles Finney e os Grandes Despertamentos do séc. XIX
1821: Recebe um “batismo do Espírito Santo”.
Passava horas orando a Deus sozinho, carregando seu “fardo de oração”.
Pregação cáustica sobre o pecado (ex.: Is. 3. 10-11).
Características do movimento de Finney
Avivamento veio através de cultos de oração.
Cristãos orientados a orar pedindo o “derramamento imediato do Espírito Santo”.
Conversões múltiplas nas cidades traziam transformações sociais. Testemunho dos convertidos surpreende e leva outros a Cristo.
Fardo de oração: Constrangimento de Cristo sobre algumas pessoas para orarem e intercederem pelas vidas de suas comunidades.
Evangelismo pessoal, em duplas, de casa em casa.
Inicia pregação de “novo batismo do Espírito”.
Arrependimento envolve “confissão” e “restituição”.
Colaboração de André Falcão

16 junho 2009

Bendito aquele que visita o BLOG em Nome do Senhor!


Recebi a última estatística do BLOG, de visitas e suas geolocalizações, vamos a ela: Brasil, em primeiríssimo lugar, depois em ordem, Estados Unidos, Portugal, Japão, Colômbia, Uruguai, Paraguai, Argentina, Chile, Bolívia, Inglaterra, Alemanha, Italia, Cabo Verde, Suíça, Espanha e Australia. Bem vindos ao nosso espaço!

15 junho 2009

O que está ruim, pode piorar!


Quem assistiu o bloco de esportes do Fantástico, no domingo a noite, deve estar pensando que estou copiando o Tadeu Schmitd, quando brincou com o quadro desolador do (sic) flamengo, goleado, no fim de semana por 5 x 0, pelo Coritiba. Não estou, nem é sobre isso que este post se destina.

Na noite de sábado tive o desprazer de zapiar o televisor pelos generosos canais da TV fechada, a procura de um bom filme para assistir. Passando canal por canal, começando pelas TVs abertas, dei um stop num programa da Record, denominado "A Fazenda".

O programa é um BBB com gente conhecida. Logicamente que não possui ninguém de ponta ali. Você encontra uma Babi, um Dado Dolabella (que se negou ser preso por conta da Luana Piovanni, numa prisão convencional, e aceitou ser preso na Fazenda, que deve ser um presídio agrícola!), a Mirella - quem é a Mirella? e nada mais.

A apresentação do Brito Junior, que é até um bom repórter e apresentador, como cover do Bial é constrangedor. O programa é constrangedor.

Se o BBB da Globo é um programa chinfrim, incapaz de me prender a atenção por mais de um episódio, mas claramente capaz de prender a atenção de milhões de pessoas, a Fazenda é um programa indizível, incitável, inominável.

O que me faz pensar que não há NADA QUE ESTÁ TÃO RUIM QUE NÃO POSSA PIORAR.

A minha preocupação, portanto, é qual? Já que não sou crítico de TV, nem tenho uma coluna de jornal chamada QUEM, nem me familiarizo com a Patricia Kogut?

Bem, ela passa pelo conteúdo da juventude brasileira.

A cada dia mais vazios, cada dia mais cheios de nada. Cada dia buscando menos valores que façam sentido para o resto da vida.

A questão que os jovens abraçam hoje passa apenas por sexo e sarro! São incapazes de pensar com mais profundidade sobre aquilo que faz realmente diferença na humanidade.
O livro de Eclesiastes lembra "Alegra-te, jovem, na tua juventude, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade; anda pelos caminhos que satisfazem ao teu coração e agradam aos teus olhos; sabe, porém, que de todas estas coisas Deus te pedirá contas. Afasta, pois, do teu coração o desgosto e remove da tua carne a dor, porque a juventude e a primavera da vida são vaidade" (11.9-10).

A vida passa, a juventude com ela. É tempo daqueles que ainda estão construindo a vida possam de alguma forma pensar em como ampliá-la.

Que tal bons livros? Que tal bons papos? Que tal um pouco mais de responsabilidade? Que tal olhar para a vida pensando exatamente no sentido que ela tem? E mais, que tal olhar para Deus e imaginar que a vida só tem razão de ser NELE?

Não falo de religião, nem de denominação evangélica. Falo sim, de valores e princípios que norteiem a caminhada, numa qualidade emocional e espiritual que façam uma grande diferença.

Sábado a noite me desesperancei. Olhei "A Fazenda" e vi gente vazia, dentro da casa, e pensei nos milhares fora dela, assistindo, aplaudindo e quem sabe fazendo graça de coisa que não tem graça alguma.

Olhei para minha esposa constrangida e meu filho, sentado com o laptop no colo, e pensei - meu Deus, nada está tão ruim que não possa realmente piorar. O Tadeu Schmitd pensou o mesmo, por razões diferentes.

09 junho 2009

Qual a diferença entre igrejas avivadas e igrejas não avivadas ?

Uma Igreja não é avivada porque canta somente cânticos espirituais

Uma Igreja não é avivada porque manifesta dons espirituais

Uma Igreja não é avivada porque bate palmas ou aplaude

TEXTO:
ESDRAS 9.1-15

QUEM DESEJA UM AVIVAMENTO:

1) NÃO DESEJA O PECADO COMO AGENDA DE VIDA

2) HÁ UM SINAL PROFUNDO DE QUEBRANTAMENTO

3) TRANSFORMA O LUGAR ONDE SE ESTÁ NO LUGAR MAIS SEGURO DA TERRA

4) HÁ UM DESEJO DE FAZER O MELHOR PARA DEUS E MUDAR O MUNDO

02 junho 2009

Um avivamento não é o que dizem

Ouço todos os dias as pessoas falando sobre avivamento. Nem aguento mais! De verdade. Infelizmente ouço nos rádios, na televisão (sinceramente ouço e vejo poucos os programas evangélicos da TV, mas os que vejo falam essa palavra), que estamos vivendo um avivamento, que queremos um avivamento e que o Brasil é um país avivado.
Bem, se considerarmos a história dos avivamentos, veremos que estamos longe disso, e que a maioria dos líderes que pregam o tal nunca experimentaram um de verdade.
Avivamento, como aconteceu com Wesley, Withifield, Spurgeon, tinha um outro viés.
Mas para entender isso preciso lembrar como é o avivamento que vivemos hoje, quer dizer, que vivem os que dizem que vivem:
1) O avivamento dessa turma não muda a vida por dentro, só muda a vida por fora, ou seja, a prosperidade é a pregação principal e subir na vida é chave da bênção de Deus;
2) O avivamento dessa turma fala de um novo tempo de adoração. Na verdade este novo tempo de adoração nada mais é do mais CDs nas rádios, mais shows evangélicos, mais cachês dos artistas gospel e mais apelação a um mantra gospel do que qualquer outra coisa;
3) O avivamento dessa turma não tem apego a Palavra de Deus, tem apelo a comprar e vender as coisas que falam de Deus - inclusive a Palavra de Deus, que hoje, pode ser da mulher, da prosperidade, das finanças, do adolescente (ou teen), do cachorro, da pulga do cachorro, e até a Bíblia, somente a Bíblia é vendida, para espanto dos mortais;
4) O avivamento dessa turma não muda a sociedade, ao contrário, elege prefeitos, vereadores, deputados, simplesmente para construir um gueto evangélico, uma bancada religiosa, que concede ônibus, moção, medalha, vergonha e conluios, sem alterar em nada a realidade triste e vergonhosa da população brasileira;
5) O avivamento dessa turma tem a ver com postos, não com funções no Reino. Querem ser bispos, apóstolos, anjos, e se Deus vacilar, tem gente concorrendo a vaga na Trindade Santa.
O avivamento não é nada disso.
Avivamento tem a ver com corações quebrantados, com pessoas convertidas ao evangelho do Senhor Jesus, onde Ele é Senhor e Salvador das vidas. O Avivamento tem a ver com comunhão profunda entre os santos e corações contritos e apaixonados pelo Deus da obra. Avivamento tem a ver com alma compungida, joelhos dobrados, intercessão ininterrupta. Avivamento tem a ver com mudanças sociais, alteradas pela perpecepçào da ação da agência do Reino de Deus onde quer que ela esteja. Avivamento tem a ver com adoração, mas não as do palco, e sim aquela que se manifesta na vida, no dia a dia, onde os microfones estão desligados, e as luzes apagadas. Avivamento é o Reino se estabelecendo com seus princípios, em cada comunidade cristã. Isso não tem a ver com templos, tem a ver com vidas.
Olho ao meu redor e vejo com clareza que o que as pessoas chamam de avivamento é apenas um movimento religioso, que infelizmente faz mas bem para quem o prega, porque para quem ouve a pregação só gera emoção e esta amigo, não muda a vida de ninguém. Pedro quem o diga.

26 maio 2009

COMO PROTEGER A SUA CASA


ESBOÇO DE SERMÃO MINISTRADO NA PIB DO GRAJAÚ NO MÊS DA FAMÍLIA


“Vigiai, pois, porque não sabeis em que dia vem o vosso Senhor. Sabei porém isto se o dono da casa soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casaPor isso ficai também vós apercebidos; porque numa hora em que não penseis, virá o filho do homem.” Mateus 24.42-44


Como o ladrão pode minar a sua casa? pode ser minada pela dúvida

Respondeu ele: Vede que não sejais enganados; porque mu

Muitos virão em meu nome, dizendo: Sou eu! E também: Chegou a hora! Não os sigais Lucas 21.8


Como o ladrão pode minar a sua casa? pode ser minada pela discórdia

25Ora, o filho mais velho estivera no campo; e, quando voltava, ao aproximar-se da casa, ouviu a música e as danças. 26Chamou um dos criados e perguntou-lhe que era aquilo. 27E ele informou: Veio teu irmão, e teu pai mandou matar o novilho cevado, porque o recuperou com saúde. 28Ele se indignou e não queria entrar; saindo, porém, o pai, procurava conciliá-lo. 29Mas ele respondeu a seu pai: Há tantos anos que te sirvo sem jamais transgredir uma ordem tua, e nunca me deste um cabrito sequer para alegrar-me com os meus amigos; 30vindo, porém, esse teu filho, que desperdiçou os teus bens com meretrizes, tu mandaste matar para ele o novilho cevado. Lucas 15.25-30


Como o ladrão pode minar a sua casa? pode ser minada pelo esfriamento espiritual

6As pessoas que têm a mente controlada pela natureza humana acabarão morrendo espiritualmente; mas as que têm a mente controlada pelo Espírito de Deus terão a vida eterna e a paz. desperdiçou os teus bens com meretrizes, tu mandaste matar para ele o novilho cevado. Lucas 15.25-30


O que o ladrão pode tentar roubar na sua casa? roubar a alegria


O que o ladrão pode tentar roubar na sua casa? roubar a alegria roubar a amizade


O que o ladrão pode tentar roubar na sua casa? roubar a alegria roubar a amizade roubar o amor pelas coisas de Deus


o que fazer para proteger a casa? deixar que o Senhor guarde a casa


o que fazer para proteger a casa? deixar que o Senhor guarde a casa esperar com paciência pelo Senhor da casa


o que fazer para proteger a casa? deixar que o Senhor guarde a casa esperar com paciência pelo Senhor da casa deixar a casa aberta para o Senhor e não para o ladrão da casa

19 maio 2009

Perdoa as nossas dívidas


“E perdoa as nossas dívidas, assim como nós perdoamos a nossos devedores” Mateus 6.12

dí.vi.dasf (lat debita) 1 O que se deve. 2 Obrigação de pagar alguma quantia de dinheiro a outrem. 3 A quantia que é objeto de tal obrigação. 4 por ext Toda obrigação de dar ou fazer uma determinada coisa. 5 Culpa, pecado. 6 Condição forçada;
per.do.ar(lat perdonare) vti e vint 1 Conceder perdão a; ser humanitário, tolerante; Deus lhes perdoe. "Perdoa, se queres" (Alexandre Herculano). vtd 2 Absolver, remitir (culpa, dívida, pena etc.); desculpar: Esqueçamos e perdoemos a passada ofensa. Perdôo-te o descaso com que me ouves. vpr 3 Poupar-se: "Nada se perdoa" (Constâncio). Embora não seja recomendável o emprego de perdoar como transitivo direto e com acusativo de pessoa, não faltam exemplos clássicos deste emprego: "O ilustre persa ... levemente o perdoa" (Luís de Camões). "Fizeram petição ao bispo, que os perdoasse, sem assinarem nada" (Arte de Furtar). A construção na voz passiva é geralmente aceita: "Estás perdoado, porque és fraco" (Camilo Castelo Branco).;
O QUE JESUS ESTAVA QUERENDO ENSINAR A SEUS SEGUIDORES SOBRE O PERDOAR?

Primeiro: quando se trata de perdão há uma lei espiritual que não pode ser desprezada: reciprocidade.

Segundo: quando se trata de perdão, há uma outra lei a ser observada: mutualidade.

Terceiro: quando se trata de perdão, perdoar e ser perdoado possui uma lei que deve ser experimentada: liberdade.

Quarto: quando se trata de perdão, perdoar significa fechar as brechas satânicas da:legalidade.

COMO VIVER EM CASA DE FORMA SAUDÁVEL, ABENÇOADORA E FELIZ


Durante todas as quartas temos falado sobre família. É mais palestra do que pregação, é mais bate-papo do que homilética. Tem sido abençoador vir aqui nestes dias e poder rir um pouco, pensar também e mais ainda mudar o que podemos, no que se refere a viver em família. Na primeira quarta deste mês eu falei sobre o abismo entre as gerações. Como é difícil para muitos pais entenderem a linguagem de seus filhos, e como é difícil para muitos entenderem a linguagem de seus pais. Nisto reside diversos atritos.
Nesta última quarta falamos mais sobre relações familiares. Nos propomos a discutir como é possível viver em família, de forma saudável, abençoadora e feliz.
Pensamos em três atitudes que precisamos ter, quando se fala em viver em casa. Afinal de contas, viver dentro dela é um desafio maior do que todos. Não é como no trabalho, já que podemos ir para outro emprego. Não se trata de relações de amizade, já que freqüentemente pessoas (volúveis principalmente), trocam de amigos nas primeiras desavenças. E muito menos não é uma relação religiosa, já que milhares mudam de igreja como mudam de roupa, e deixam de vir a igreja como desistem de assistir a um programa de TV manjado.
Viver em família é bom, mas é difícil, portanto as dicas de quarta passada, servem, a bom termo, para todos os dias da vida:
1) Leve Deus para dentro de casa - não leve a religião. Ela estressa, aborrece, chateia, impõe, discute, engana. Leve Deus. Deixe-O falar. Louvem juntos o nome dele. Adorem-nO. Celebrem-nO. Permitam que Ele ocupe papel central na sala da casa.
2) Não faça tempestade em copo d´água - existem coisas que não valem a pena discutir. Brigar por coisas pequenas é apenas chatear-se por aquilo que não tem o menor valor. Ponha cada problema em seu devido lugar.
3) Não seja chato! - a pior coisa é conviver com gente que reclama demais, ri de menos, briga por tudo e faz questão a toda hora. É insuportável viver com quem acha que tem sempre a razão e que a vida é sempre vista na cor cinza. Ria, alegre-se, ponha um bom humor na alma, e permita-se viver com aqueles que você escolheu conviver do melhor modo possível.
Na próxima quarta falaremos mais, mas venha ouvir, para não ter que ler apenas um resumo no domingo que vem.
Paz e graça
Wellison Magalhães

12 maio 2009

A Igreja e seu papel no mundo

Outro dia fui a um programa de TV onde o debate era: A igreja hoje em dia cumpre o seu papel? Alguns afirmaram lá que sim, eu afirmei que não.
Bem, estavam comigo um pastor e professor, um cantor gospel, e eu.
Para alguns dos meus colegas debatedores, a igreja cumpre sua missão porque em lugares distantes ela está. A igreja cumpre sua missão porque cresce, e por fim o argumento mortal, letal e enganoso é de que a " igreja gloriosa, sempre vai cumprir a missão de Deus".
Bem, argumentos mais frágeis do que esses estou por ver. Primeiro, porque a Igreja "gloriosa" como este irmão vê, ninguém vê. Ninguém conhece a " Igreja Gloriosa". Ela é na verdade título, ela é teologia, mas não é visível.
Esta por certa cumpre a missão, esta por certo será arrebatada e esta por certo é a certa.
Contudo, quando falamos se a igreja está ou não cumprindo sua missão, estamos de fato tentando refletir um pouco sobre a comunidade que vemos, que sabemos, que sentimos e que frequentamos.
Esta, a meu ver, não cumpre sua missão. Chatei-se quem desejar, mas que não cumpre, não cumpre.
"Eu conheço cristãos saudáveis e apaixonados por Deus", você pode dizer, eu também. Contudo, insisto, não falo de alguns, não falo das excessões, falo de um grande movimento mundial chamado Igreja.
Para este movimento minha nota continua baixa, principalmente nos dias atuais.
Primeiro porque o que as pessoas chamam de crescimento, é apenas inchasso religioso.
O que alguns gostam de verbalizar como avivamento é nada mais do que um "neopentecostalismo" roxo, que transita de forma irresponsável entre o natural e sub-natural, com as mais diferentes maracutais " evangélicas", para manterem-se no "ar".
O que alguns chamam de evangelismo, Jesus chamaria de proselitismo, e o que alguns chamam de voz profética, Jeremias declararia como um monte de mentiras, em nome de Deus - vide o " paz, paz, quando não há paz", denunciado pelo próprio.
O que alguns chamam de ação social, é apenas um meio para "ganhar" alguns mais para a numerosa relação dos novos convertidos.
Para mim a Igreja vai cumprir sua missão de verdade, de forma absolutamente simples:
- quando amar o próximo de verdade
- quando amar a Deus de verdade
O resto é política eclesiástica, é religiosidade, e para isso, eu realmente estou fora. Como diz um amigo: "religiosidade, nunca mais!" .

08 maio 2009

“Mãe eis aí teu filho...”

Ser mãe é uma arte, e uma arte maravilhosa. Ninguém tem duas mães. Tem no máximo, pessoas que gostamos tanto que parecem até uma segunda mãe.
É bem verdade que nos dias terríveis que vivemos, tem mães que jogam filhos das janelas e outras que os deixam nascer e jogam nos rios da cidade. Mas estas são apenas exceções, num universo de mulheres dedicadas e maravilhosas que enchem a terra. Afinal, as exceções apenas confirmam a regra.
Quantas mulheres entraram para a história porque foram mães encantadoras? As mães são as que mais nos ouvem, normalmente, são as que mais nos compreendem. As mães são sensíveis, são batalhadoras.
Deus usou a imagem absurda de uma mãe abandonando o filho, exatamente para poder explicar a inexplicabilidade: Deus jamais nos abandonará, assim como quase nenhuma mãe faria: “O SENHOR responde: “Será que uma mãe pode esquecer o seu bebê? Será que pode deixar de amar o seu próprio filho? Mesmo que isso acontecesse, eu nunca esqueceria vocês.” Isaías 49.15.
Aproveite o dia das mães para dizer a sua mãe que ela é a mulher de todos os dias em sua vida. Aproveite a homenagem do dia e mais do que presente encha sua mãe de atenção. Afinal de contas a vida dela foi toda dedicada a você, acredite.

07 maio 2009

Entrou na história...



No mês de abril o Pr.Jorge de Oliveira Bezerra completou trinta anos de ministério. Destes , pude ver in loco alguns de seus frutíferos trabalhos. Em Nilópolis, em Boston e na Flórida.
Nasci no evangelho na Primeira Igreja Batista em Nilópolis. Foi ali, que ao chegar, aos 15 anos de idade pude ter as primeiras impressões do que as pessoas chamavam de igreja. Aos 16, tive a oportunidade de pregar meu primeiro sermão, no dia do adolescente Batista. O Pr.Jorge permitia que neste dia os adolescentes pregassem na Igreja, portanto preguei.
Já levei muitas broncas dele. Nenhuma me fazia menor, me fazia melhor. Foi também olhando os seus acertos e erros, que de alguma forma fui moldando o que pensava ser igreja.
Vinte e sete anos depois, olho para trás e vejo que tenho muito a agradecer. Preciso agradecer ao meu pastor, por todos os anos de convivência amorosa e bem humorada que pude desfrutar com ele e com sua esposa.
A Aidinete, sempre foi uma irmã mais velha. Não teria jamais a ousadia de dizer que parece minha mãe, não tem idade, nem cara para isso. Mas sempre ocupou espaços privilegiados em meus ouvidos. Não sei se sempre lhe atendi, mas nunca esqueci as palavras de exortação, carinho e incentivo nas caminhadas mais difíceis da minha vida,e posso lhes afirmar que não foram poucas.
Este casal entrou em minha vida em tantos momentos diferentes, cujas emoções polarizaram entre a dor e a alegria extrema, que ficaria difícil arrolar qual foi o momento mais importante. Eles me hospedaram. Sim, diversas vezes em casa, mas me abrigaram de forma concreta e permanente em seus corações, e isso já faz tempo.
Preciso confessar que o padrão deste pastor para o trabalho da Igreja é sempre acima da excelência, as vezes fica difícil acompanhar, mas me esforço para por em prática a excelência que aprendi com ele.
Ainda, na sessão “confissão”, preciso completar que sempre procurei ser um “orgulho” ministerial para ele, afinal ser filho na fé, ser descendente espiritual, traz alegria, mas é uma tremenda responsabilidade.
Eu olho para o Pr.Jorge e vejo um homem comum. Com falhas, com erros, com medos. Mas no auge dos trinta anos de ministério o vejo com uma vontade muito grande de fazer algo grande, intenso e expressivo para o Reino de Deus.
A ele dou meus parabéns pelos 30 anos de ministério pastoral, eu sou fruto desse ministério. Posso dizer isso com uma alegria indizível e um prazer que não se pode contar.


04 maio 2009

Tem Pai que é Cego!





Esta frase foi cunhada pelo Jô Soares, no seu programa humorístico, no final da década de 80. O quadro mostrava um pai que nem desconfiava da sexualidade de seu filho, mas antes, o que era normal para outros pais, para ele era um absurdo tamanho que dizia: “tem pai que é cego”.
Ele tem razão. Tem pai que não consegue enxergar nada a sua frente na relação com seus filhos. Muitos desses pais acreditam que não precisam acompanhar seus meninos, é exatamente por isso que milhares de jovens são ceifados de todas as formas nas cidades.
Pai não pode ser cego. Pai não pode apenas ser o “camarada” que sustenta a casa. É preciso participar ativamente da vida dos filhos, e aqui vão as dicas:
1 – Pai que não é cego acompanha o desenvolvimento emocional de seus filhos. Muitos não estão nem aí para o primeiro namoro, para o primeiro dia de aula, para o primeiro emprego, para o primeiro estágio, para a primeira briga, para a primeira decepção. A vida emocional de nossos filhos tem uma relação íntima com a figura paterna.
2 – Pai que não é cego acompanha a sexualidade de seu filho. É hipocrisia o que vemos na TV. Os artistas, apresentadores fazem sempre uma crítica ácida a quem tem preconceito contra os homossexuais. De fato, o preconceito não é Divino, contudo ninguém – não conheço ninguém – que sonhe assim: “ai tomara que meu filho seja homossexual”. Observe o comportamento, acompanhe, converse, fale sobre sexo com seus filhos abertamente, com coragem e espiritualidade.
3 – Pai que não é cego acompanha a vida espiritual de seu filho. Tem pai que não ora com seu filho, e olha que ele é crente. Tem pai que ordena ao filho vir à Igreja, mas ele não vem. Tem pai que nunca é visto lendo a Palavra ou que nunca a cita para seus filhos. Tem pai que fala mal da Igreja, do pastor, de Deus e de tudo. Tem pai que nunca vai à cama dos filhos impor as mãos em oração. Ou seja, não cuida da vida espiritual dos filhos.
Jô tem razão, e olha que nem sempre gosto de dar razão a ele, mas a bem da verdade, realmente "tem pai que é cego”.
Paz e graça.
Wellison Magalhães

21 abril 2009

Inadequado, prostado aos teus pés eu sou mesmo inadequado!

Desde que me converti ao evangelho tive a tendência de parecer adequado. Mas parecer não é ser. Infelizmente nunca consegui. Olhar para trás e ver minhas imperfeições era assinar um atestado de incompetência espiritual, social, psicológica, etc.
Por isso, muitas vezes preferi apenas parecer adequado, embora as atitudes revelassem um ser inadequado.
Hoje eu tenho mais coragem do que tinha há algum tempo atrás de olhar no retrovisor. Nunca gostamos do que vemos dentro de nós, por isso a maioria ou é cega para os seus defeitos ou sofre uma aminésia seletiva de seus atos.
Olhando para o evangelho que abracei, percebi que em muitas coisas fui estupidamente inadequado. Olhando para o evangelho que a maioria dos evangélicos tem abraçado, a inadequação tem sido regra.
É inadequado pecar? é., mas sem gerar o juízo de valor do ato, pior é tornar-se cínico e não enxergar mais pecado como tal. Até porque, pecado para a maioria das pessoas só o é, quando é na casa de festas do sexualmente temático.
Para a Igreja pecar é adulterar, masturbar, transar antes de casar (e para alguns grupos transar casado, desde que não seja para procriar), ver filmes pornográficos, sensualidade exagerada, ou libido tornado público. O resto não é pecado. Mentir, não pagar, não amar, não perdoar, não ser útil, não servir, falar mal do outro, não respeitar, nada disso faz parte da lista de pecado da maioria dos cristãos inadequados desses dias.
Por tudo isso pensei o quanto tento me prostrar aos pés do Rei, mas volta e meia relembro os dias de inadequação em que escravizei minha alma.
Não quero mais isso. Não quero ser um cristão de fachada, um pregador de mentirinha, um servo da carochinha, um pastor de brincadeira, um homem "para inglês ver" ou um pastor para a igreja admirar.
Larry Crabb vai dizer que para deixarmos a inadequação de lado, precisamos somar duas qualidades. Uma soma a outra. Uma contém a outra. "Homens piedosos" diz o escritor, "são homens quebrantados".
Minha inadequação diante da vida, vinha da ausência de piedade verdadeira e quebrantamento sincero.
O mundo gospel atual não dá tempo para isso. Temos muitos cultos de libertação para ir, e campanhas da prosperidade para nos afogar em promessas que jamais serão cumpridas, porque não foi Deus quem as fez. Temos tantos cultos, que não temos tempo de conhecer Deus intimamente.
Ele é capaz de mudar minha inadequação. É capaz me de tratar com a paciência, do mais paciente dos pais, e cuidar de mim como um amigo com um amor mais profundo. Na sinceridade da minha alma é mais fácil Ele tratar dela, do que quando a mantive escondida nos grotões da vida, onde adequação era apenas teatro, e não vida de verdade.

Pensando o Grajaú...minha nova terra.


Há pouquíssimas semanas passei a ser um morador do Grajaú. O bairro, conhecido por ser arborizada em extremo, com um jeito bucólico de ser, passou por fases difíceis nos últimos anos.

Favelas, violência, assaltos marcaram algumas regiões do bairro.

Entretanto, algumas providências foram tomadas, diga-se de passagem, pelos moradores. Algumas ruas são vigiadas por empresas de segurança e homens, com camisa APOIO, transitam, afirmando a presença discreta entre as ruas.

Não quero esconder os problemas claros que o Grajaú apresenta, mas aproveito este espaço apenas para exaltar as coisas bonitas que você pode encontrar se embrenhando no interior deste bairro de lasse média da zona norte carioca.

As ruas são arborizadas sim, não é possível dar árvores como referência de nada, já que todas as ruas são fechadas em copas, como um balé se alterando apenas pelos ventos que sopram sobre elas.

O clima é de interior em algumas ruas. Aos pés da Reserva Florestal o verde, o clima, a temperatura sempre amena, é um convite a caminhadas, corridas e ares diferenciados, do lugar comum do cenário do Rio.

As casas antigas, algumas com aparência de residências francesas se misturam a uma arquitetura moderna, dão o tom de como o Grajaú é hoje.

Na praça principal, em dias de domingos e feriados, é possível encontrar crianças brincando nas ruas fechadas. Pasmem, charretes puxadas por pequenos pôneis, ainda podem ser achadas rodeando a praça.

É lá no Grajaú que também você encontra a Primeira Igreja Batista do Grajaú. No Bairro há 30 anos, a Igreja está ali para ser um referencial da mensagem genuína do evangelho. Quando você penetrar no interior do bairro, verá que tudo que digo aqui não é exagero.

Quando você for a Primeira Igreja Batista do Grajaú, encontrará uma igreja saudável, para você e sua família.

19 abril 2009

Aprendendo com os erros

O técnico do São Paulo, chatinho por sinal, Muricy Ramalho, afirmou, após a derrota do seu time para o Corinthias, abre aspas: NAO GOSTO DE APRENDER COM A DERROTA!
Bem, seu Muricy, a bem da verdade todos nós queríamos aprender nas festas, nas baladas, nas praias, nas alegrias, mas o senhor deveria ter sido avisado que não dá para fazer esta escolha, pelo menos não mais agora.
A derrota é uma grande escola. Ela é pedagógica. Domina como ninguém a arte de ensinar com exatidão, os princípios para uma vida melhor.
Sabe, seu Muricy, ninguém vence sempre. Não dá. Não podemos mudar o foco de toda a vida por conta de uma derrota, e precisamos, caso não saiba avaliar no momento, descobrir onde erramos, para evitar errar outra vez.
Olha Muricy, esse seu jeitão de sabe tudo não é nada bom. Ninguém sabe de tudo, o tempo todo.
Aliás, acho que quem acha que sabe tudo, é porque não sabe nada!
Bem, infelizmente tenho que dizer "seu técnico", que no meu time, dos crentes, dos evangélicos de carteirinha, tem gente pensando como você. Muitos não aprendem com os erros e muitos outros acham que já sabem de tudo.
As duas coisas causam estranheza, porque muitos erram e continuam errando todos os dias, nas mesmas coisas, da mesma forma, sem nunca mudarem. E muitos continuam orgulhosos, vaidosos, achando que sabem absolutamente tudo sobre Deus, a Igreja e o próximo.
Talvez seu Muricy você esteja fazendo escola, é uma pena, porque daqui a algum tempo teremos mais técnicos que pensem como você, e pior continuaremos tendo crentes que entraram numa sala qualquer, exatamente no dia em que voce dava aula.

13 abril 2009

ESBOÇO DE SERMÃO

TEXTO Lucas 12.13-21
TEMA: A prosperidade que vem de deus NAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS

Nesse ponto, um homem que estava no meio da multidão lhe falou: Mestre, ordena a meu irmão que reparta comigo a herança. Mas Jesus lhe respondeu: Homem, quem me constituiu juiz ou partidor entre vós? Então, lhes recomendou: Tende cuidado e guardai-vos de toda e qualquer avareza; porque a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui. E lhes proferiu ainda uma parábola, dizendo: O campo de um homem rico produziu com abundância. E arrazoava consigo mesmo, dizendo: Que farei, pois não tenho onde recolher os meus frutos?
E disse: Farei isto: destruirei os meus celeiros, reconstruí-los-ei maiores e aí recolherei todo o meu produto e todos os meus bens. Então, direi à minha alma: tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e regala-te. Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? é o que entesoura para si mesmo e não é rico para com Deus.

1) PARA TER PROSPERIDADE NAS RELAÇÕES PRECISAMOS NÃO FAZER CONTA DE TODAS AS COISAS
“Nesse ponto, um homem que estava no meio da multidão lhe falou: Mestre, ordena a meu irmão que reparta comigo a herança.

2) PARA TER PROSPERIDADE NAS RELAÇÕES PRECISAMOS TER MATURIDADE PARA RESOLVER AS DEMANDAS DESSAS RELAÇÕES
“Mas Jesus lhe respondeu: Homem, quem me constituiu juiz ou partidor entre vós?”

3) PARA TER PROSPERIDADE NAS RELAÇÕES PRECISAMOS ENTENDER QUE NADA NA VIDA NOS FAZ MAIS OU MELHOR DO QUE OS OUTROS
“Então, lhes recomendou: Tende cuidado e guardai-vos de toda e qualquer avareza; porque a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui.

4) PARA TER PROSPERIDADE NAS RELAÇÕES PRECISAMOS NOS PERMITIR DEIXAR ALGO PARA ALGUÉM QUE SEJA REALMENTE BOM
“Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?”

07 abril 2009

A PÁSCOA DEVE SER COMEMORADA COMO...PÁSCOA!

Jesus não pediu para lembrarmos do seu nascimento, mas Ele deixou claro que deveríamos comemorar a sua morte, até que Ele venha.
Neste período da semana chamada “Santa”, a população de um modo geral “lembra” de Jesus. As televisões passam filmes sobre Jesus, as pessoas falam sobre “A Paixão”, mas tudo apenas para amenizar a consciência religiosa, que gasta o resto do ano longe de Deus.
Páscoa não é uma “Semana Santa”, páscoa é por um ano santo. Na páscoa dos religiosos, o peixe paga o pato, já que neste período é ele que ganha espaço, na gastronomia obrigatória.
A páscoa dos religiosos vai além, é comemorada com os famosíssimos “Ovos de Páscoa”, que fazem a festa de todos, principalmente dos comerciantes ávidos por datas religiosas comemorativas, que os ajudam a “salvar”...o ano financeiro das empresas.
Páscoa não é para ser comemorada assim. Segundo a Bíblia, a Páscoa é marcada por duas palavras “Libertação” e “Sacrifício”. Foi quando o povo, no livro do Êxodo, recebeu a libertação definitiva do Egito, foi quando Jesus sacrificou-se por mim e por você.
Páscoa não tem a ver com peixe, páscoa não tem a ver com ovos de chocolate. Páscoa tem a ver com a vida, com aquela vida que Jesus nos deu, quando morreu na cruz do Calvário.
Neste domingo ore com sua família, almoce com sua família, gaste tempo com ela, e compartilhem a linda história da Páscoa, aquela que tem a ver com Deus e com Jesus, e não com peixes que pagam o pato, nem coelhos que são...valha-me Deus: Ovíparos!

Por quê na Igreja resolvemos inventar tanto?

Imagino o início da Igreja. Cristãos simples, sem formação teológica. Ninguém havia passado pelo Seminário. Não existiam cultos de libertação formais, marcados nos dias da semana. A Igreja se reunia e estudava a Palavra. A Palavra, no caso, era os ensinamentos dos discípulos e o Antigo Testamento. A comunidade cristã não tinha EBD. Depois que criaram a EBD, os cristão ficaram presos a ela. Não bastava ser Escola, não bastava ser Bíblica, tinha que ser obrigatoriamente Dominical. Fechou a questão.
Interessante como a Igreja criou estruturas, cargos, postos, tudo em nome de Deus. Eu me escangalho de rir. Tem Escolas Dominicais que tem Superintendente! Imagine, como na Igreja tudo tem que ser PLUS, MAIS, GRANDE, EXTRAVAGANTE, não bastava o camarada ser intendente, ele precisa ser o SUPER intendente da Escola Dominical.
A Igreja de hoje foi reinventada. Ela não é pálidamente aquilo que foi quando tudo começou.
Não quero ser nostálgico, intolerante, nem piegas demais e muito menos cego, às estruturas que estão ao meu redor. Contudo, não consigo mais olhar para a Igreja, institucionalizada, e vê-la como aquela que nasceu para nós, nas páginas do Novo Testamento.
Tudo hoje é show! Tudo é espetáculo! Tudo é superfaturado! Tudo supervalorizado! E pior, em diversos casos, tudo é business.
Não impressiona que os cultos de cura são todos televisionados? Por quê os que tem o "poder"de curar não param um dia, apenas um dia, na porta do Hospital de Câncer ou num Hospital do SUS desses qualquer? Por quê para curar tem que ser pela TV?
A IGREJA de hoje foi reinventada por todos que acreditam que precisavam dar uma "maozinha"para Deus. Talvez, alguns, acreditem que Ele devia estar atrapalhado demais para dar conta sozinho de algo que criou. Não, sei, é ironia, é claro, mas que no fundo, no fundo, do jeito que as coisas vão, eu não duvido aparecer alguém dizendo que Deus não fez direito, e que existe alguém capaz de consertar os erros do Senhor...na TV, é claro!