08 julho 2008

Qual o tamanho desta dor?


Infelizmente somos outra vez assaltados por uma notícia dolorosa. Não foi ninguém da minha família, provavelmente também não foi da sua, que lê este blog, mas é como se fosse.

A violência no Rio de Janeiro parece não ter fim, e parece ainda mais, entrar por nossas casas, através de declarações doloridas, como o pai do menino de três anos, baleado à revelia, por soldados mal preparados.

Foi feito um pedido de desculpas? Sim, foi. Mas e daí? Amanhã pela manhã o menino será enterrado de qualquer modo, os pais chorarão, os tios também, e uma centena de pessoas que se relacionavam com esta família, estarão ainda mais perplexos diante de tanta dor!]

Até quando teremos que conviver com gente que tira a vida de gente como se gente não fosse gente, mas fosse um saco de lixo? Até quando teremos que viver numa sociedade que cada dia mais despreza a vida.

Sim, porque infelizmente intelectuais, empresários que doam dinheiro para o disque denúncia, playboys que saem com camisetas nas passeatas pela paz, são os primeiros a subir o morro para comprar seu maldito pó, alimentando e re-alimentando a violência na cidade.

É para ficar indignado, porque os mesmos que dizem ficar atônitos com o mal, são os mesmos que pedem a liberação da maconha, que acham que o aborto é uma opção perfeitamente legal, que bebem e dirigem, que se prostituem ou patrocinam a prostituição.

Isso enoja. Quando os filhos dos desembargadores, ou ainda os filhos dos promotores vão as danceterias para arrumar briga, bater nos outros, brigar com tantos e sair dizendo que são vítimas de um estado de terror, isso enoja.

A Bíblia diz que nos últimos dias os homens seriam "Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos,Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons,Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus" (II Tm 3.1-3).

Isto não é notícia de jornal, é a Bíblia que diz.

A cada dia ficamos mais enojados com o que o vemos. Com os pitboys da vida queimando índios, estuprando menores, batendo em inocentes em Sorocaba. Ficamos enojados de juízes pilantras, de deputados ladrões, de policiais corruptos, de religiosos gananciosos. A cada dia nos enojamos mais, e perguntamos: Até quando?
Dá para olhar para tudo isso e dimensionar o tamanho desta dor?

2 comentários:

sheila deolinda disse...

O TAMANHO DA DOR NAO TEM COMO SABER,SO TEMOS COMO SENTIR.
A VIOLENCIA INFELISMENTE,NAO ESTA SO NO RIO E SIM NO MUNDO TODO,ENQUANTO O MUNDO VIVER DANDO IMPORTANCIA A TUDO, MENOS A DEUS NAO TEMOS COMO FICAR DISTANTE DA VIOLENCIA.
DESEJO QUE A PAZ DE DEUS ,ESTEJA COM ESTA FAMILIA

wellison magalhães disse...

� o que esperamos e desejamos tamb�m, sheila, obrigado pela participa�o aqui no blog.