17 fevereiro 2008

Se fosse um diário, escreveria...

Hoje foi um dia atípico. Aliás, típico porque faço sempre muitas coisas ou as tenho para fazer. Entretanto, foi atípico porque tentei cumprir uma agenda "incumprível", mas que me proporcionou um dia bom demais.
Não sei exatamente a quem isso possa interessar, mas como frequentemente tem pessoas aqui neste blog visitando para saber o que escrevo e outros para saber o que eu faço, aí vai como foi o meu 16 de fevereiro de 2008, sábado.
Acordei às 7h30, aliás, fui acordado. Matheus tinha um teste para treinar volei no fluminenC. Às 8h20 estava lá, em Laranjeiras. Ele já treinava, na quinta a noite, havíamos "treinado" um pouco preparando-se para esta manhã. Não quero me gabar da ajuda, afinal ele tem seus talentos pessoais, mas na segunda ele começa treinando na equipe mirim do clube.
Saí de lá fui até a Radio Boas Novas, onde o pr.Ednando daria uma entrevista sobre o evento I SIM ISRAEL NO RIO DE JANEIRO, que estamos organizando aqui no Rio.
No programa de Eliana Ovalle, acabei por dar uma pala, a pedido da apresentadora.
Saí de lá fui para o Centro da cidade, eu tinha livros para pegar lá, já que no domingo estarei pregando na PIB em VICENTE DE CARVALHO, do meu amigo Dercinei, é aniversário da Igreja. Acabei ficando no escritório até as 16h30.
Saí de lá, voltei à Laranjeiras. De lá fomos ao Maracanã assistir ao massagre alvi-negro, sobre os tricolores bestas da cidade carioca. Bota 2 x 0, como nos abraçamos. Foi uma festa.
Na verdade a partidade foi um presente, pelo sufoco para conseguir estacionar o carro. Tentei de tudo, menos meu filho. Ele acabou por me indicar uma rua que conhecia (melhor que eu). Estacionei, mas já tinha perdido 10 minutos de jogo. Tudo bem, os outros 80 foram maravilhosos.
Saí de lá, fui para Cascadura, onde o Pr.Gilton Vieira tomava posse como secretário executivo da Ordem dos Pastores da Carioca, cheguei quase as 22 horas, mas ainda havia culto e participei do tempo que tive.
Saí de lá, fui fazer um "lanche" com a Danusa, que já me aguardava na Igreja. Ao chegarmos no local do tal "banquete", reencontrei depois de um bom tempo duas ovelhas queridas, dos tempos da Quarta, o João Varanda e sua linda namorada, a Fabiana. Conversamos, nos abraçamos, nao nesta ordem.
Aproveitei a oportunidade para dar-lhes uma carona e extender a conversa, apetitosa, mais que o proprio "lanche".
Com uma hora de sobra, pelo fim do horário de verão, tive que diversificar para chegar em casa, já que a "Beija-Flor"dominava a rua principal de Nilópolis.
Agora, são 2h27 da manhã, estou cansado "mas perseguindo", como os valentes que estavam com GIdeão atravessando o rio.
Quantas coisas podemos fazer num dia só. E amanhã tem mais. Culto pela manhã, visita à tarde e pregação a noite...mais um dia, em que Deus vai renovando nossas forças para vivermos felizes. Estou cansado, mas feliz.

2 comentários:

Lulya disse...

Bom diaaaaaaaaaaa!!!! He ehehehehe, como a curiosodade é um bem ou mal que me acompanha , foi bom passar por aqui e saber como foi o seu dia. Perceber que apesar de mtas atividades , vc consegiu dar atenção pro seu filho e estar com amigos e tb com a namorada. Essas coisas realmente fazem bem pra alma.

Marcelo disse...

Td estava indo tão bem qdo abordou o tal "massacre"... Aquilo foi apenas um mal súbito que, espero eu, venha para o bem dos tricolores, bestas e não-bestas, como eu... hehehehe. Abração, Wellison.